Sanofi

Conheça a sua barriga

Antes de perceber como ocorrem as dores de barriga, é importante conhecer a localização de cada órgão no seu abdómen e as respetivas funções.

Abdómen superior
1Esófago

Depois de mastigar e engolir os alimentos, estes descem um tubo que se chama esófago. Na extremidade inferior deste tubo existe um músculo estreito, que forma um anel. Este anel relaxa brevemente para permitir a passagem dos alimentos para o estômago, mas geralmente está contraído e bem fechado, para evitar que o refluxo dos ácidos do estômago prejudique as paredes interiores do esófago, que são bastante sensíveis.

Abdómen superior
<span class="rounded-number">2</span>Estômago

Os alimentos engolidos são mantidos no estômago, onde sucos digestivos fortemente ácidos são adicionados. Os músculos (denominados "músculos lisos") que revestem a parte inferior do estômago misturam os alimentos com os ácidos do estômago, liquefazendo os sólidos e decompondo as gorduras.

Abdómen superior
<span class="rounded-number">3</span>Pâncreas

O pâncreas é aproximadamente da mesma dimensão e forma de uma pequena banana, e encontra-se na parte superior do abdómen, em direção às costas, próximo da coluna vertebral. O pâncreas produz um fluido digestivo, composto por bicarbonato, e enzimas que são excretadas no intestino para ajudar a decompor os alimentos. Estas enzimas digerem as proteínas, gorduras e hidratos de carbono em moléculas muito mais pequenas, para que o nosso intestino consiga absorvê-las. O pâncreas também produz insulina e outras hormonas importantes.

Abdómen superior
<span class="rounded-number">4</span>Fígado

O fígado é a maior glândula do organismo e desempenha um grande número de tarefas que afetam todos os sistemas do nosso corpo. Todo o sangue que sai do estômago e dos intestinos passa pelo fígado, para aí ser processado. Adicionalmente, o fígado produz um fluido que se chama bílis, o qual é excretado para a vesícula.

Abdómen superior
<span class="rounded-number">5</span>Vesícula

A vesícula é um orgão que armazena a bílis, um fluido amargo e escuro que ajuda a digerir os alimentos ao emulsionar as gorduras. A vesícula é aproximadamente do tamanho de um ovo quando está cheia. Embora seja estreita, a parede da vesícula é feita de um tecido muscular forte o suficiente para se contrair e descarregar bílis para o intestino delgado sempre que é necessário.

Abdómen inferior
<span class="rounded-number">6</span>Intestino delgado

O intestino delgado é um tubo longo e muscular que mede, num adulto, cerca de 6 metros. O intestino delgado absorve a maior parte dos nutrientes dos alimentos. O peristaltismo, os movimentos tipo-onda do seu músculo liso, empurra os alimentos digeridos ao longo de todo o seu comprimento. Este movimento é coordenado por uma densa rede nervosa no interior das paredes dos músculo.

Abdómen inferior
<span class="rounded-number">7</span>Intestino grosso

O intestino grosso absorve os nutrientes remanescentes dos alimentos digeridos que não foram absorvidos no intestino delgado, removendo também o excesso de água. Se o peristaltismo - os movimentos tipo-onda dos seus músculos lisos que empurram lentamente o material não aproveitável (desperdício) ao longo do intestino grosso - for interrompido ou mais lento, o desperdício não consegue ser eliminado, o que dá origem à <a style="color: #fff" href="http://www.alivioprisaodeventre.pt/"><u>prisão de ventre</u></a>. Caso o desperdício seja empurrado através do intestino grosso demasiado rápido, a água em excesso não consegue ser removida, podendo causar diarreia.

Abdómen inferior
<span class="rounded-number">8</span>Rins

Localizados na parte mais atrás do abdómen, os rins aplicam um processo fisico-químico a que se chama de 'osmose' ao sangue por forma a daí extrair sais, ácidos e outras substâncias não desejadas, que são eliminadas na urina. Ao contrário de outros orgãos no abdómen, os rins não requerem contrações musculares para desempenharem a sua função.

Abdómen inferior
<span class="rounded-number">9</span>Orgãos reprodutores femininos

Os orgãos reprodutores da mulher estão localizados junto de / em frente do final do intestino grosso, e abaixo / atrás do intestino delgado. Entre a puberdade (cerca dos 10 aos 16 anos) e a menopausa (aproximadamente aos 50 anos), o útero, as trompas de Falópio e os ovários produzem hormonas sexuais e reagem à variação do nível destas hormonas num ciclo mensal. A menstruação (ou período) de uma mulher faz parte do ciclo menstrual. Um ciclo inicia-se no primeiro dia do período e dura em média 28 dias. Durante a menstruação, podem ocorrer cólicas no útero e órgãos abdominais adjacentes.

1
2
3
4
5
6
7
8
9

Digestão e dor de barriga

Agora que já sabe como cada um dos principais orgãos no seu abdómen funciona, que tal perceber como ocorre a dor de barriga?

1
2
3
4
5
6
7
7
8
Músculo liso

Todo o processo de digestão é muito complexo. A digestão normal depende da capacidade do corpo de suavemente empurrar os alimentos através do trato digestivo, enquanto vai misturando completamente os seus componentes. Isto acontece através da contração de uma camada de músculo liso em todo o seu comprimento.

Peristaltismo

O estômago, o intestino delgado e o intestino grosso apresentam todos uma camada exterior de músculo liso. Usando uma contração muscular rítmica, com um movimento tipo-onda, conhecido como peristaltismo, os alimentos são esmagados e empurrados ao longo do trato digestivo. Todo o processo ocorre sem que precisemos sequer de pensar nele. Normalmente, estas contrações suaves não se sentem.

Como funciona
Buscopan®

7
8
9
10
Pára os espasmos, pára as dores.

Depois de tomado, Buscopan® move-se ao longo do trato digestivo. Ali, Buscopan® interrompe o sinal que provoca as contrações dolorosas dos músculos gastro-intestinais. Os músculos podem relaxar, a dor acalma, e o processo digestivo volta ao normal.

De onde vem
Buscopan®

Na procura por um tratamento suave e eficaz das dores de barriga, a Boehringer Ingelheim tem por base as artes medicinais de algumas das mais antigas culturas do mundo. Médicos Hindus na Índia antiga conheciam os efeitos antiespasmódicos de uma planta da família da Duboisia: a planta Datura. Hoje, a história do Buscopan® começa em Ingelheim, na Alemanha, onde as melhores plantas Duboisia são cultivadas em estufas. Estas plantas são criadas para ser resistentes aos principais parasitas (minhocas, besouros e escaravelhos). As melhores sementes são colhidas e distribuídas pelas plantações da empresa na América do Sul e na Austrália, para uma nova seleção no local. Aqui, as plantas crescem em grande escala.

A escopolamina, o alcalóide farmaceuticamente importante contido nas folhas e talos secos, é isolada e purificada. Finalmente, a substância precursora ativa escopolamina, sofre um único processo químico - é convertida em butilescopolamina, a substância ativa do Buscopan®.

Em 1951, o novo medicamento estava pronto para a produção comercial. Buscopan® foi lançado em 1952. Hoje, com mais de meio século de experiência comprovada na eficácia antipasmódica, Buscopan® especialista no tratamento da dor abdominal.

Utilizamos cookies próprios e de terceiros para proporcionar-lhe um acesso melhor e personalizado ao site, bem como mostrar-lhe publicidade relacionada com as suas preferências de navegação. Ao clicar em “aceito” está a consentir o uso de cookies.

Carregue aqui para saber mais OK